top of page

O papel das políticas públicas na música

No mercado musical, a falta de políticas públicas é um tema recorrente nas conversas. A necessidade de crescer esses incentivos à medida que o mercado se expande é essencial para competirmos com o mercado estrangeiro. Por isso, decidimos listar algumas que podem dar vida o seu projeto:



Lei Rouanet: Ela permite que empresas e indivíduos deduzam do imposto de renda o valor investido em projetos culturais, incluindo shows e eventos musicais. Você pode aprender mais sobre como se beneficiar neste vídeo feito pelo Metrópoles: https://lnkd.in/dxkRnipM ;


Fundo Nacional de Cultura: Criado pelo Ministério da Cultura, financia projetos culturais em todo o país;


Programa de Fomento à Cultura: Também financia projetos culturais em âmbito nacional;


Programa de Apoio ao Desenvolvimento do Audiovisual Brasileiro: Financia projetos audiovisuais, como videoclipes e documentários musicais;


Programa de Apoio à Cultura Indígena: Ainda pelo Ministério da Cultura, financia projetos culturais de comunidades indígenas;


Editais das Secretarias Municipais de Cultura: As Secretarias de Cultura de cada município realizam editais para financiar projetos de música e audiovisual em seus portais. Fique atento para se inscrever nos editais da sua cidade.


Mas, se o Brasil já possui esses programas, o que falta para competir e entrar no mercado global?


Primeiro, é importante lembrar a necessidade de ampliação dos programas citados e de seus fundos, para que possam abranger cada vez mais artistas que, por sua vez, iriam conquistar públicos cada vez maiores! Em segundo lugar, é essencial citarmos a urgência de se investir em Educação Musical. Para entender isso, observe na lista abaixo como os governos estrangeiros souberam trazer a música para o universo de suas escolas:


No Japão, programas musicais estão presentes em todas as escolas públicas, e são reconhecidos por sua excelência;


Na Finlândia, onde a educação musical é um componente essencial do já bem-sucedido sistema educacional, ela também é uma disciplina obrigatória nas escolas primárias e secundárias.


No Reino Unido, com sua rica tradição musical, a música é obrigatória nas escolas primárias e secundárias, e as oportunidades de estudo em nível universitário são amplas.


A Alemanha, com sua história musical renomada, possui um sistema sólido de educação musical, sendo disciplina obrigatória em escolas primárias e secundárias, além de oferecer escolas de música renomadas.


Nos Estados Unidos, onde a educação é descentralizada, muitas escolas e distritos possuem programas de música desenvolvidos, enquanto as universidades do país têm reconhecimento global por seus cursos e programas musicais.


Estes são apenas exemplos de países que reconhecem e valorizam a importância da educação musical. Há diversos outros países ao redor do mundo que seguem esse princípio, fortalecendo assim a educação e a promoção da música. E para você? Quais as melhores políticas públicas para fomentar a música no Brasil?


5 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page